“O que a gente tem são velhos hábitos, que ficaram em segundo lugar”, afirma especialista em Segurança do Paciente

Duas últimas lives do Projeto IRAS associaram as infecções à COVID-19

As duas últimas lives realizadas pela equipe do Projeto IRAS (Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde) abordaram as infecções associadas à Covid-19. A primeira delas, que ocorreu no final de março, tratou das medidas restritivas e seus impactos na pandemia da Covid-19: mais infectados, mais mortos e a emergência de uma cepa mais perigosa do SARS-CoV-2. A segunda, que ocorreu no dia 29 de abril, abordou as realidades e os desafios das IRAS associadas à Covid-19.

Para a enfermeira e especialista da Fiocruz, Kleiny Cristo, “O que a gente tem são velhos hábitos, que ficaram em segundo lugar, como a higienização das mãos, dos ambientes, melhorar a circulação dos ambientes, repensar essa vivência, melhorar a cadeia para que o paciente tenha possibilidade de recuperação e uma saída efetiva”, pontua. Ela citou experiências e ações com equipes que lidam diariamente com as IRAS em hospitais na tentativa de reduzir os casos da Covid-19 ou mesmo reduzir a gravidade.

Entre os desafios citados por Keliny estão o cansaço dos profissionais, a reorganização das equipes, dos fluxos, o medo, a necessidade de reorientar as pessoas. “O tempo de retomar os fluxos foi pequeno”, pontua a enfermeira ao se referir à segunda onda.

Isabela Rodrigues, que é enfermeira e presidente da Coordenação de Controle de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde (CCIRAS), do Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB), ressaltou que “as IRAS sempre foram um tema bastante desafiador, porque envolvem questões bastante complexas, envolvem muitos profissionais de saúde. Temos uma atribuição muito importante na definição e divulgação de diretrizes baseadas em evidências científicas”, pontua.

A enfermeira destaca, ainda, que o mundo passa por um momento muito adverso, em que o insumo é finito e, por isso, para que não falte aos profissionais, é preciso organização, para que esses profissionais possam atender de forma segura os pacientes. Ela citou, ainda, os tipos de precaução, como a higienização das mãos, uso de luvas, de avental e de máscaras.

O professor Bruno Campello de Souza destacou, na primeira live, que o importante “são lógicas e evidências científicas. Qualquer coisa fora disso é uma falácia”, afirma. Ele citou periódicos que tiveram que se retratar durante a pandemia, por erros em artigos científicos, estudos que esquecem de associar o passado ao futuro. Além disso, que muitas pesquisas “fazem pressupostos do vírus e da pandemia, pontuando um tempo para a infecção, um tempo de duração, pressupõe quantidade de infectados, probabilidade de transmissão, outras que supõem que certa medida restritiva produz efeito em tempo fixo, que podemos predeterminar. Isso é um erro porque o tempo não é fixo. Existem estudos que comparam diferentes estudos sem contabilizar a localização, sem considerar características genéticas etc”, finaliza.

Confira a live sobre medidas restritivas: https://www.youtube.com/watch?v=EKJ1eKn084M

Confira a live sobre as realidades e os desafios: https://www.youtube.com/watch?v=RYlhh2LY0AU&t=2921s

Assessoria de Comunicação do Projeto IRAS IFG / Ministério da Saúde

Projeto IRAS vai publicar livro com artigos científicos

Expectativa é que a publicação seja disponibilizada ainda neste 1º semestre de 2021

O Projeto Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS) publicará neste ano de 2021 o livro “Infecção Relacionada à Assistência à Saúde: subsídios para assistência segura”, que está na etapa de apreciação da proposta pela editora Atena. A obra conterá 23 capítulos escritos por pesquisadores brasileiros de diferentes instituições.

Entre os temas a serem abordados, destaca o coordenador do projeto, o professor do Instituto Federal de Goiás (IFG), Geraldo Andrade de Oliveira, estão: vigilância e monitoramento das IRAS, segurança do paciente, resistência microbiana, ambientes especializados de assistência à saúde, desafios da pandemia COVID-19, impacto econômico das IRAS, tecnologias para a tomada de decisão e gestão das IRAS. Os capítulos estão finalizados, segundo o professor.

Entre os autores dos capítulos do livro estão pesquisadores da área da saúde e estatística do projeto, bem como expertises convidados de instituições de ensino externas ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás.

A publicação, com expectativa de publicação ainda no 1º semestre de 2021, estará disponível gratuitamente na versão on-line, no formato de e-book. O livro será destinado para profissionais da área da saúde, pessoas que tiverem interesse nas temáticas, bem como gestores de instituições de saúde.

O livro será disponibilizado, entre outros canais, no site do Projeto IRAS: www.projetoirasifg.com.br.

Assessoria de Comunicação / Projeto IRAS IFG – Ministério da Saúde

Live vai tratar das IRAS associadas à COVID-19

No próximo dia 29 de abril, quinta-feira, o Projeto IRAS vai realizar a live IRAS associadas à COVID-19: realidade e desafios, às 19 horas. A atividade será transmitida ao vivo pelo canal do Projeto IRAS no YouTube (www.youtube.com/projetoiras).

A live vai contar com as presenças da palestrante Isabela Rodrigues, que é enfermeira e presidente da  Coordenação de Controle de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde (CCIRAS), do Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB); e da palestrante Kleiny Cristo, enfermeira e especialista em Segurança do Paciente, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A mediadora do bate-papo será a enfermeira e professora da Universidade de Brasília, Paula Hermann.

Aos participantes, não será necessário realizar a inscrição prévia. Apenas para os que querem certificação é preciso se inscrever durante a live, em um link a ser repassado pelo chat do canal.

Link direto da transmissão: https://www.youtube.com/watch?v=RYlhh2LY0AU

Assessoria de Comunicação/ Projeto IRAS IFG – Ministério da Saúde

Inscrições para 2ª turma do curso de Atualização em IRAS seguem até fevereiro

Capacitação será gratuita e aberta aos profissionais de saúde de todo o país  

O projeto IRAS (Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde) vai realizar a segunda turma de formação em Atualização em IRAS. As inscrições para o curso, que será na modalidade de educação a distância, estão abertas e podem ser feitas por profissionais da área da saúde até o dia 14 de fevereiro.

O curso possui carga horária de 40 horas, com início em 22 de fevereiro, pela Plataforma Moodle do Instituto Federal de Goiás – IFG (https://virtual.ifg.edu.br). A coordenadora do curso é a professora do IFG Charlise Fortunato Pedroso, integrante da equipe do projeto IRAS.

Podem participar profissionais da saúde de todo o país, que já tenham formação técnica ou superior. O objetivo geral do curso, segundo o edital, é “Oferecer aos profissionais de saúde subsídios técnicos e científicos para que possam refletir clínica e criticamente sobre as práticas assistenciais em saúde e aplicar os conhecimentos na detecção, prevenção e controle das IRAS”.

Acesse o edital do curso.

Acesse mais informações.

Faça sua inscrição.

Assessoria de Comunicação do Projeto IRAS IFG / Ministério da Saúde  

Projeto IRAS prevê duas capacitações para 2021

Editais e informações serão divulgadas posteriormente

No próximo ano, ainda no primeiro semestre de 2021, a equipe do Projeto IRAS (Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde) deve realizar dois cursos de formação.

Um deles é o curso de Metodologia Lean aplicada às IRAS. A previsão é de que o curso terá 40 horas, será realizado na modalidade a distância e gratuitamente. O coordenador do curso e ministrante será o professor do Instituto Federal de Goiás (IFG) e integrante do Projeto IRAS, Fabio Francisco da Silva. Ele é engenheiro mecânico, doutor em Gestão e Otimização de Processos.

A outra formação será a segunda edição do curso de Atualização em IRAS. A primeira turma foi ofertada em outubro de 2020 e contou com a presença de mais de 200 inscritos. A previsão é de formação da segunda turma ainda no primeiro semestre de 2021. As informações serão publicadas no site do projeto.

Assessoria de Comunicação do Projeto IRAS / Ministério da Saúde

REALIZAÇÃO

IFG – Câmpus Valparaíso

IFG – Câmpus Goiânia Oeste

IFG – Câmpus Águas Lindas

Recursos: Ministério da Saúde

COMISSÃO ORGANIZADORA

Coordenação

Prof. Dr. Geraldo Andrade de Oliveira

Prof. Dr. Fabio Francisco da Silva

Profa. Msc. Charlise Fortunato Pedroso

Profa. Dra. Maria das Graças Costas Nery da Silva

Profa. Dra. Raquel Silva Pinheiro

Comissão Científica

Charlise Fortunato Pedroso

Ingrid Aline de Jesus Gonçalves

Ione Silva Barros

Jeane Kelly Silva de Carvalho

Lyriane Apolinário de Araújo

Paula  Regina de Souza Hermann

Raquel Silva Pinheiro

Thays Angélica de Pinho Santos

Comissão de Logística

Maria das Graças Costa Nery da Silva

Diego Silva Xavier

Elenice Mendes Cézar

Ariel Caleb Fernandes Souza

Fábio Francisco da Silva

Mariana Magalhães Nóbrega

Carla Adriana Oliveira Silva

Equipe IFEP

Comissão de Divulgação

Leonardo Araújo – IFEP

Tássia Galvão – Jornalista

Michele Bagestão – Programadora Visual

Rodrigo Assis – Editor de vídeo e técnica

INSCRIÇÕES

Os interessados em participar do evento, profissionais da saúde e de outras áreas do conhecimento, podem se inscrever até um dia antes de início do Simpósio. As inscrições poder ser realizadas no Sugepe do Instituto Federal de Goiás, instituição executora do Projeto IRAS.

Acesse e inscreva-se.

Projeto em parceria IFG/Ministério da Saúde

O Instituto Federal de Goiás, executor do Projeto IRAS, é uma instituição pública e gratuita de ensino médio técnico e superior. Foi constituído como Instituto Federal (IF) em 2008, com a promulgação da Lei nº 11.892/2008, que criou os demais IFs em todo país e instituiu a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Acesse o site do IFG e saiba mais informações: ifg.edu.br.

O IFG oferta cursos desde o ensino médio integrado ao técnico até a pós-graduação. Além disso, desenvolve projetos de pesquisa, possui mais de 50 grupos de pesquisa cadastrados no Diretório do CNPq. O projeto IRAS é um destes projetos de pesquisa, cujo corpo docente de pesquisadores é, em sua maioria, formado por professores da Instituição, especificamente dos câmpus Valparaíso, Goiânia Oeste e Águas Lindas. Além disso, é um projeto financiado pelo Ministério da Saúde e conta com pesquisadores de outras instituições.

Conheça a equipe do projeto.